2 de abril de 2018

Aquele post das atualizações esporádicas


Depois de citar sobre no post passado, voltei com as atualizações do mês (que na verdade eu nunca chamei assim, mas praticamente é isso que esse tipo de post é), do qual eu tento dar minha sincera opinião sobre tudo o que eu vi/assisti/li e vivi no decorrer dos últimos tempos, sem data periódica (como vocês podem notar, essa seção do blog nunca será chamada de 'atualizações do mês' pelo simples motivo de não ser postada todos os meses, religiosamente). Fui puxar aqui no arquivo do blog, e percebi que a última vez que fiz esse compilado foi dia 6 de dezembro... Até que não tem taaaanto tempo assim, mas considerando que esses últimos meses foram de férias, a gente sempre acaba fazendo várias coisas.

Na minha vida, num geral, comecei o segundo -e último- ano da faculdade (faço Design Gráfico, aliás). Sendo sincera: eu não estava animada. O semestre passado acabou de uma forma que não me deixou muito feliz e minhas expectativas para o próximo ano caíram ladeira abaixo. Eu realmente não queria voltar a estudar (e olha que eu gosto de estudar). Ainda estou com medo de dizer que o semestre está legal, por causa daquela lei não-propriamente dita, mas que todo mundo sabe que existe, de que se uma coisa está indo bem na sua vida, pode ter certeza que outra vai começar a ir mal. Porque tem que existir o equilíbrio e etc.
Meus professores do semestre são bons e legais e até que as matérias estão chamando bastante minha atenção. A dureza é na parte profissional mesmo.
Difícil conseguir um estágio sequer no mundo atual, principalmente na minha área. Minha idade pode até estar condizente, mas como não tenho experiência, as ofertas desviam de mim igual aquelas balas desviam do Neo, em Matrix. Triste. Não perdi a esperança, lógico, mas é difícil se manter "bem" quando tudo o que você mais quer é independência.


Livros: nem acredito que 2018 trouxe algo de bom: voltei a ler. Achei isso o máximo. Não esperava menos de 2018 (rsrsrs). Eu estava lendo 'A Casa de Hades' de forma beeeem lenta, como se alguém estivesse me obrigando, e percebi que isso era ruim. Tenho que largar de livros que não estão me deixando bem ao lê-los, ou que diminuem minha meta literária imaginária, só pela desculpa de "não quero deixar o livro parado na metade; tenho que terminá-lo". Eu não tenho que fazer nada!! 
Então resolvi largar e partir para outros, esperando que um dia a vontade de terminar 'Os Heróis do Olimpo' volte.

Nos Bastidores da DisneyNos Bastidores da Disney (Inside the Magic Kingdom: Seven Keys to Disney's Success) - Tom Connellan
Classificação: ***
O sucesso da Disneyworld é incontestável. Anualmente, milhares de visitantes de diversos países visitam seus parques temáticos, e sempre saem satisfeitos com a organização e o atendimento. Nos bastidores da Disney revela as estratégias que fazem da Disney uma das empresas mais poderosas e rentáveis do mundo - entre elas, identificar a concorrência e valorizar o trabalho em equipe. Uma leitura aconselhável para profissionais de todos os níveis em empresas que desejam crescer e conquistar uma fatia no mercado.
Bom, antes que você pergunte o que um livro de administração está fazendo nesse post, saiba que ele não caiu de paraquedas: curso Design Gráfico, e umas das matérias do semestre passado se chamava 'Planejamento Estratégico'. Ou seja, falamos bastante sobre administração e coisas do ramo. O livro em questão é bem "fácil" de ler, por não ter termos técnicos e contar uma história, propriamente dita. Tudo bem que eu comecei a lê-lo por causa das horas em AC (a parte chata da faculdade), mas depois peguei gosto pelo negócio. A história nele não é verídica e nem muitos dos causos contados, mas o sistema apresentado é 100% real, então acho super válido pra conhecer o "lado burocrático" da Disney, que convenhamos, não tem nada de burocrático, porque ora essa, estamos falando da Disney.


O Duque e Eu O Duque e Eu (The Duke and I) - Julia Quinn
Classificação: ****
Simon Basset, o irresistível duque de Hastings, acaba de retornar a Londres depois de seis anos viajando pelo mundo. Rico, bonito e solteiro, ele é um prato cheio para as mães da alta sociedade, que só pensam em arrumar um bom partido para suas filhas. Simon, porém, tem o firme propósito de nunca se casar. Assim, para se livrar das garras dessas mulheres, precisa de um plano infalível. É quando entra em cena Daphne Bridgerton, a irmã mais nova de seu melhor amigo.
Apesar de espirituosa e dona de uma personalidade marcante, todos os homens que se interessam por ela são velhos demais, pouco inteligentes ou destituídos de qualquer tipo de charme. E os que têm potencial para ser bons maridos só a veem como uma boa amiga. A ideia de Simon é fingir que a corteja. Dessa forma, de uma tacada só, ele conseguirá afastar as jovens obcecadas por um marido e atrairá vários pretendentes para Daphne. Afinal, se um duque está interessado nela, a jovem deve ter mais atrativos do que aparenta.
Mas, à medida que a farsa dos dois se desenrola, o sorriso malicioso e os olhos cheios de desejo de Simon tornam cada vez mais difícil para Daphne lembrar que tudo não passa de fingimento. Agora ela precisa fazer o impossível para não se apaixonar por esse conquistador inveterado que tem aversão a tudo o que ela mais quer na vida.
Já fazia tempo que eu queria ler alguma coisa da Julia Quinn por ela ser uma das poucas autoras com o próprio nome maior do que o título da obra em seus livros de tanto ouvir falar. Amo história de época, amo romances de época e só li críticas boas a respeito dos Bridgertons. Comprei no impulso (o livro estava com um preço bom também) e devorei a história. Mal posso esperar para ter o resto da coleção na minha estante.
Apesar de ser sobre uma única família, todos os volumes são história fechadas; mas acho interessante ler na ordem (lembrando que eu só li 1).
Sobre a história: me identifiquei tanto com a Daphne quanto com o Simon. Não quero dar spoilers aqui, mas acho que não tem problema em dizer que ambos tem características peculiares que os deixam bem humanos. O livro tem bastante diálogo, e por conta disso, mesmo que a história num geral se passe em meses ou anos, parece que tudo só aconteceu num único fim de semana. Logicamente, a leitura é bem fluida e os capítulos são divididos com pequenos textos da Lady Whistledown: uma "jornalista" sensacionalista que fala a verdade mascarada de fofoca.
Aliás, no momento em que escrevo esse post, estou relendo-o.


MentirososMentirosos (We Were Liars) - E. Lockhart
Classificação: *****
Na família Sinclair, ninguém é carente, criminoso, viciado ou fracassado. Mas talvez isso seja mentira.
Os Sinclair são uma família rica e renomada, que se recusa a admitir que está em decadência e se agarra a todo custo às tradições. Assim, todo ano o patriarca, suas três filhas e seus respectivos filhos passam as férias de verão em sua ilha particular. Cadence - neta primogênita e principal herdeira -, seus primos Johnny e Mirren e o amigo Gat são inseparáveis desde pequenos, e juntos formam um grupo chamado Mentirosos.
Durante o verão de seus quinze anos, as férias idílicas de Cadence são interrompidas quando a garota sofre um estranho acidente. Ela passa os próximos dois anos em um período conturbado, com amnésia, depressão, fortes dores de cabeça e muitos analgésicos. Toda a família a trata com extremo cuidado e se recusa a dar mais detalhes sobre o ocorrido… até que Cadence finalmente volta à ilha para juntar as lembranças do que realmente aconteceu.
Ahhhhh, Mentirosos...... O que falar dessa obra-prima?
Uma história magnífica, que você só vai achar magnífica se for capaz de ler nas entrelinhas e de usar a imaginação.
E. Lockhart é conhecida (pelo menos por mim) por não escrever as coisas com elas realmente são (no sentido de dar detalhes e explicar tim-tim por tim-tim), então se você não entende (ou não é muito chegado) em metáforas, Mentirosos não é para você. Através dessa performance na escrita, a autora brilhante nos conta uma história sobre uma família rica que vive de aparências, enquanto seu interior está desmoronando.
Não vou falar mais nada, porque é bom começar a ler Mentirosos no escuro. Além da sinopse e dessa minha pequena e humilde opinião, não vá procurar saber mais antes de ler a obra. Faça um favor a si mesmo, e não "spoil yourself" como eu vi uma booktuber gringa comentando ("spoil" do verbo "spoiler"), para ter a experiência completa de imergir no mundo dos Sinclair.


Música: tenham em mente que eu escuto bastante música - desde as velhas, até os lançamentos -, e como fiquei bastante tempo sem atualizar a parte de música, esse tópico ficará gigante. Espero não esquecer nada, no meio de tanta coisa pra atualizar.
Como sempre, você é mais que convidado á dar uma chance às minhas indicações (todas de muito bom gosto, obrigada).

Artist/ANTI (feat. G Soul) - ZICO: ainda não consegui ouvir o álbum inteiro (é tanto álbum novo pra ouvir que eu acabo até esquecendo de todos), então minha indicação vai para apenas essas duas faixas do último álbum solo do Zico. Gostei de ambas, mas ANTI tem toda uma atmosfera perturbadora e muito pessoal. O MV também pode te causar um leve estranhamento. ~ouça aqui~ / ~ouça aqui~

That Girl - YongHwa: só ouvi o último álbum solo do Yonghwa oppa uma vez, então não posso falar muito sobre. Só digo que todas as faixas são melancólicas, com exceção de 'That Girl' (que tem a participação do lindo do LOCO), então acho que ele estava pensando bastante sobre o afastamento da carreira por causa do exército. Sei lá. Talvez não. Enfim, a música é ótima (talvez o refrão tenha me deixado meio duvidosa) e o MV é A CARA do Yonghwa. ~ouça aqui~

Power - EXO: não tenho costume de ouvir álbuns inteiros do EXO (apesar de gostar bastante de algumas b-sides), então eu praticamente VI-CI-EI em Power. MV engraladíssimo, música muito boa e coreografia 10 (dá pra ver a felicidade dos meninos em todos os musics shows, pode procurar aí). Como sempre, só senti falta do meu Yixing (Lay). Estou seriamente com medo do EXO virar OT8. ~ouça aqui~

Holiday Night - Girls Generation (SNSD): depois de me viciar nas titles tracks, fui ouvir o álbum e amei. Achei lindo. Um dos melhores de 2017. Minhas preferidas são: One Last Time (de longe, provavelmente. A voz da Seohyun tá mágica, de tão linda nessa música), Girls Are Back, Sweet Talk, Love is Bitter e FAN. Vão escutar todas e se deliciem com o último álbum do grupo........ #todoschora  ~ouça aqui~ / ~ouça aqui~ / ~ouça aqui~

Wake Me Up/Darling - Taeyang: outro que ainda não consegui parar pra ouvir o álbum, então fiquei só nas title tracks mesmo. Dessas duas a que mais gosto é Wake Me Up que vive no top 3 do Ponto Kpop kkkkk , mas recomendo ambas pelo estilo de som diferentão. Toda vez que eu ou indicar o Taeyang pra alguém, eu sempre bato na mesma tecla: se você gosta do Justin Timberlake, certeza que vai amar o Youngbae. ~ouça aqui~ / ~ouça aqui~

Summer Go Loco - LOCO: esse eu mais que ouvi o álbum. Cansei até, hahaha Depois te demorar um pouquinho, percebi que o Loco se tornou meu rapper preferido... Amo a voz incrível e diferente dele (tanto cantando como no rap mesmo), amo as letras das músicas e gosto do estilo do cara (eu acho ele lindo com ou sem cabelo, hahaha). Recomendo o álbum inteiro (é um mini, afinal, então só tem apenas 5 músicas); ele conta com vááárias participações, entre elas a do querido Gray (algum dia ainda falo dele). ~ouça aqui~ / ~ouça aqui~

Love Yourself (#Her) - BTS: meu álbum preferido do Bangtan sempre foi HYYH part.2 (The Most Beautiful Moment in Life), por conta do meu amor por todas as canções e etc. ATÉ QUE os meninos vieram com essa obra-prima que foi Love Yourself (#Her, porque vão ter outros). Todas TODAS todas as faixas são viciantes. São incríveis, te deixam empolgado, te fazem querer ouvir o dia inteiro, te fazem querer espalhar pro mundo inteiro conhecer os meninos maravilhosos e talentosos. Ainda não parei pra definir, mas Love Yourself provavelmente (com 99,9% de chances) virou meu álbum preferido dos meninos. Recomendo todas as músicas também, mas admito que as eu mais ouvi foram Go Go e Pied Piper (mas todas são boaaaas!).  ~ouça aqui~ / ~ouça aqui~ / ~ouça aqui~ / ~ouça aqui~

(EP) I Wouldn't Be - Kodaline: meu Kodaline finalmente voltooooou!! Não foi full album, mas 4 músicas já estão de bom tamanho. Pelo menos deu pra matar a saudade da voz do Steve, e eles ainda trouxeram 1 videoclip e outros 2 especiais (eles estão com uma "série" de gravar músicas em lugares inusitados ao redor do mundo. sonhemos que um dia será Brasil, e eu estarei presente ouvindo tudo ao vivo, enquanto eles cantam Brand New Day lindissimamente). Escutem todas as 4 músicas, ponto final. Aqui está sua chance de conhecer essa banda maravilhosa que merecia muuuuuito mais reconhecimento. ~ouça aqui~ / ~ouça aqui~ / ~ouça aqui~

Clap/Change Up - SEVENTEEN: já ouvi o álbum novo, mas não o suficiente pra citar aqui as minhas músicas preferidas. Então por enquanto fiquemos apenas com as title tracks mesmo. Achei Clap ótima, os meninos estão maravilhosos de lindos. É uma música com foco no vocal e pouco rap. Quanto a Change Up eu amei o diferencial!! Ver o Woozi cantando no falsete e o Hoshi fazendo e deixou tão feliz, hahaha ❤ Fora que o MV é uma gracinha (aquela parte deles no colo um do outro)! ~ouça aqui~ / ~ouça aqui~

Dramarama - Monsta X: mais um que ainda não consegui ouvir o álbum. Esse na verdade eu nem consegui parar pra pesquisar muito. É que o Monsta lançou TANTA coisa esse ano (e nós só estamos em março) que eu não tô conseguindo acompanhar (e olha que eu sou Monbebe). Sobre a música então: amei de primeira. O rap, os vocals, a coreografia.... Não é a toa que meus bebês finalmente conseguiram levar o tão esperado 1st win (quase chorei com eles ao assistir o vídeo do music show). Por favor, dêem muito amor ao Monsta: eles mais que merecem! ~ouça aqui~

Rollin' - B1A4: nem vou dizer mais - ainda não ouvi o álbum. Rollin' é ótima. O refrão todo harmonizado deixou a música com um toque super especial. ~ouça aqui~

I Need U - Lay: ouvi também 'Sheep', mas I Need U foi a que mais gostei. É uma resposta á What U Want (última música solo do Lay) e me lembra muito ela mesma em algumas partes da melodia. O MV ficou uma gracinha - ainda mais por ter os avós do próprio Yixing! ~ouça aqui~

Crazy, Sexy, Cool - ASTRO: ameeeeei! Acho que os meninos dos Astro são um dos poucos rookies masculinos que estão "crescendo" aos poucos de "forma certa". Eles debutaram com um conceito beeeem fofinho e todos os MVs eram uma gracinha e tals. E ao longo dos 4/5 álbuns, eu sinto um amadurecimento na medida certa. Nada de exageros (quando o grupo do nada pula pra um conceito sexy), e 'Crazy, Sexy, Cool' é perfeita pra mostrar um lado mais adulto deles, sem perder aquela "essência Astro" que a gente tanto gosta (eu tenho vontade de guardar os 6 num potinho!! -apesar do MJ ser mais velho que eu :O). ~ouça aqui~

Black Suit - Super Junior: SuJu de volta e eu amei essa faixa-título. A outra (mais calminha) é boa também, mas Black Suit pra mim pegou toda a atenção, hahahaha o ritmo meio jazz com os trompetes de fundo deixaram a música com um toque suuuuper legal. Não tem como não ter vontade de dançar quando ela começa a tocar! ~ouça aqui~

DDD - EXID: o toquinho inicial dessa música já é viciante por conta própria. O resto da música só ajuda a completar a vontade de ouvir toda hora. A coreografia é num estilo "bem EXID" e a única coisa ruim é o fato desse comeback ter sido só com 4 integrantes.... :(  ~ouça aqui~

Tell Me/TGIF (Dong Woo solo) - INFINITE: o que dizer dessa obra-primaaaa????!!! xD Eu já tinha ficado viciadinha em Infinite com 'Bad', e quando vi que tinha comeback (sem o Hoya, infelizmente), fui logo conferir. A letra é ótima, a coreo é ótima, a batida/melodia é ótima, os meninos estão ótimooooooos!!! Ouçam muuuuito!! E quanto á B-side (TGIF), o solo do DongWoo, achei justo colocar aqui porque foi uma das minhas preferidas do álbum (que eu só consegui ouvir umas 2 vezes, por enquanto), e a voz dele tá linda também uwu   ~ouça aqui~ / ~ouça aqui~

Al1 - SEVENTEEN: que álbum ótimo! Não é um dos meus preferidos, mas admito que gosto bastante de todas as faixas! Os meninos decidiram colocar um ritmo mais "pop americano" nesse novo comeback, e ele se estende por todo o álbum. Minhas preferidas são: 'Don't Wanna Cry', 'If I', 'Habit' (que é liiindaaaaa) e 'Swiming Fool'; ou seja: quase o álbum todo. ~ouça aqui~ / ~ouça aqui~

Baby Don't Stop/Boss - NCT U: e mais um grupo anda ganhando espaço no meu coração.... Eu tenho que me segurar pra não entrar em mais fandom (apesar de achar que estou quase quaaaaase saindo do fandom Monbebe.....), mas com esses meninos do NCT sendo maravilhosos a cada comeback, fica difícil. Nem sei explicar o que gostei nas músicas, só sei que são incríveis. Acho lindo que o NCT seja um grupo que aposta bastante no rap, mas que têm vocals maravilhosos. E dessa vez pudemos ouvir mais do Ten (que estava afastado devido á problemas de saúde) e conhecer o Jungwoo e o Lucas (MEU NOVO BEBÊ), que são, logicamente, incrivelmente talentosos. ~ouça aqui~ / ~ouça aqui~

Daydream - J-HOPE: só ouvi essa música da mixtape inteirinha, e achei uma gracinha. Suuuuper a cara do nosso Hobi, fico extremamente feliz por ele finalmente ter conseguido lançar seu projetinho solo e estar recebendo reconhecimento como rapper. Mais que merecido. ~ouça aqui~

Lip & Hip - Hyuna: quando ouvi essa música pela primeira vez, admito que não gostei muito. Eu não estava gostando dos últimos comebacks da Hyuna, na verdade, desde 'How's This', então foi uma coisa boa que eu acabei baixando Lip & Hip e estou escutando bastante; o refrão é viciante. ~ouça aqui~

All Alone - DAY6: se não me engano, esse é o último lançamento do projeto 'Everyday6', no qual os meninos lançaram duas músicas todo dia 6 do ano de 2017 inteirinho. E sim, só estou ouvindo agora. Acho que DAY6 é um grupo que consegue acertar tanto nas músicas animadas, como naquelas depressivas cheias de high notes (as minhas preferidas, aliás). ~ouça aqui~

Heart Shaker - TWICE: outra que eu demorei pra ouvir. Pra mim o Twice estava fazendo tanto comeback um em seguida do outro, que não dava tempo de acompanhar, além de ver todos os outros grupos que eu gosto, E fazer outras coisas importantes pra mim, então acabei deixando de lado mesmo. Aí quando ouvi, acabei gostando e logo acabei me viciando. Acho a coreografia a cosia mais fofa e já quase consigo cantar junto. ~ouça aqui~

Bad Boy - Red Velvet: eu estava com medo desse comeback ser ruim igual foi com o comeback anterior, 'Peek-a-boo', ainda mais porque as fotos que estavam saindo eram liiiindas e as meninas estavam mais maravilhosas do que nunca, num conceito meio dark estilo Avril Lavigne (rosa-pink com preto), então quando ouvi a música (umas 3 vezes, admito) e percebi que a SM tinha acertado, fiquei bem feliz, porque gosto bastante do Red Velvet. ~ouça aqui~

Shall We Dance - BLOCK B: comeback do Block B depois de taaaaanto tempo!! E com conceito de street, bem no estilo de Nalina e Nilili Mambo, do jeito que eu gosto! hahahaha amei essa música, nem preciso dizer, né? Tudo muito lindo, coreografia até que fácil, comparada á tantas outras. ~ouça aqui~

Return - iKon: assim que ouvi 'Love Scenario' eu comentei no twitter que tinha gostado, mas que não achava que seria melhor que o comeback anterior (B-Day e Bling Bling) de jeito nenhum. E isso está de acordo até agora. Mas assim que ouvi o álbum, percebi que as músicas b-side são muuuuito boas -apesar de ter um estilo parecido com a title track. Minhas preferidas são: One & Only (solo do B.I), Beautiful, Jerk, Best Friend (de loooonge a preferida do álbum todo!) e Love Me. Mas o álbum inteiro é bom, vão ouviiiiir!! ~ouça aqui~ / ~ouça aqui~

Pallete - IU: outro que demorei pra ouvir o álbum, e que apesar de serem só algumas músicas do álbum que eu tenha gostado mesmo, acabei colocando ele inteiro aqui pra não ficar citando as músicas. Num geral, Pallete é um álbum que tem mais faixas tristes, melancólicas e com melodias calmas, do que agitadas. E como sou fã das agitadas da IU, lógico que as minhas indicações aqui são para essas mesmas: Pallete feat. GD (a title track, óbvio), Jam Jam e Black Out. ~ouça aqui~ / ~ouça aqui~

Gashina/Heroine - Sunmi: demorei pra escutar essa diva e depois que finalmente fiz, não parei mais. Gashina (que por algum motivo a escrita em hangul é 'Kashina', mas eles romanizam com G.......) não cansou de repetir na minha playlist e assim que Heroine saiu eu fiquei mais apaixonada por essa mulher (e aqui eu digo fisicamente também: ela é bem magra e ainda assim é considerada bonita -com razão!. Os MVs têm todo um estilo diferentão e as danças esquisitas que ela faz só deixam tudo com um ar de "eu faço isso também!", que eu achei ótimo pra identificação). ~ouça aqui~ / ~ouça aqui~

Bboom Bboom - MOMOLAND: outra farofaaaaaaaa, maravilhosa!! Já faz tempo que a música saiu, mas eu ainda continuo ouvindo sem parar hahahaha Com certeza uma das preferidas do ano! Quem sabe eu não faço, lá em dezembro, uma retrospectiva de tudo de bom que eu ouvi durante 2018??  ~ouça aqui~

Image result for boom boom momoland gif
(a melhor parte da coregrafia)

Depois de muito pensar, decidi dividir esse post em duas partes. Nessa primeira eu falarei sobre os livros e as músicas que li e ouvi nos últimos meses, e no próximo post eu venho comentar sobre tudo o que assisti (filmes, séries, etc). Acho que assim não fica cansativo pra ninguém (eu, que digito e vocês, que leem) e eu acabo que me "forçando" a postar, para o blog não ficar "ás moscas".

Então, obrigada por ter lido até aqui.
Nos vemos no próximo post! o/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Bem vindo ao 'Dois Pontos'!
Obrigada por comentar!

Copyright © 2014 | Design e Código: Amanda Salinas | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo